Telefone Direto e Gratuito Telefone 0800 642 2272

Planejar a aposentadoria é o mais aconselhado

05/09/2022 • Direito previdenciário

Planejar a aposentadoria é o mais aconselhado

O estudo vai comparar a Carteira de Trabalho ou os carnês de contribuição com o CNIS, todas as informações serão minuciosamente analisadas

Estamos vivendo na era digital, onde tudo acontece aceleradamente. Muitos ficam focados no ritmo intenso de trabalho, e se preocupam apenas com o agora. E, se esquecem de algo fundamental; planejar e preparar a sua aposentadoria. Quando vamos fazer algo importante, seja uma viagem, compra de um imóvel ou veículo, não planejamentos estes investimentos? Com o nosso benefício previdenciário não pode ser diferente. Afinal, é do nosso futuro que estamos falando.

Atualmente podemos contar com o Planejamento Previdenciário (PP), ou seja; planejar a aposentadoria, estudo feito por profissionais especializados em serviços previdenciários, como é o caso do analista jurídico Roberto Wiggers. Ele aconselha que todas as pessoas que pensam em se aposentar, antes de realizar o pedido junto ao INSS – Instituto Nacional do Seguro Social, façam seu Planejamento Previdenciário.

Destaca que não tem idade específica e, que um jovem já pode começar a planejar sua aposentadoria porém a partir dos 50 anos, é recomendável procurar um especialista e realizar este estudo de grande importância. “O trabalhador terá tempo hábil para saber exatamente quando pode se aposentar, em quais regras se encaixa e, se necessário realizar correções. Também programar, quando possível, a renda desejada.

Mapeamento
O estudo vai comparar a Carteira de Trabalho ou os carnês de contribuição com o CNIS (Cadastro Nacional de Informações Sociais), onde está registrado o histórico das contribuições. Inicialmente será verificado se existem divergências de informações. Segundo Wiggers, tudo vai ser minuciosamente analisado e averiguado, visando saber se todos os registros na Carteira de trabalho ou contribuições feitas com os carnês realmente constam no INSS. Destaca que é comum existirem inconsistências como por exemplo contribuições feitas em um outro NIT – Número de Identificação do Trabalhador, períodos sem data de rescisão (data final do vínculo de trabalho), contribuições abaixo do valor mínimo, dentre outras informações.

Segundo ele, tudo isso será esclarecido no PP. Destaca ainda, que “o Planejamento Previdenciário vai deixar o segurado ciente destas inconsistências e dos prejuízos que isso acarreta na aposentadoria, orientando como proceder para corrigi-las, quais os documentos necessários e o momento ideal para fazê-lo.
Além disso, outras situações serão averiguadas, como as profissões que geram direito a uma aposentadoria especial, caso da maioria dos profissionais da saúde, mecânicos, vigilantes, dentre tantas profissões em que os trabalhadores estão expostos a agentes nocivos à saúde ou de risco à vida.

Também são analisadas possíveis averbações de tempo de serviço, que são possibilidades de aumentar o tempo de serviço/contribuição, como por exemplo “quando o trabalhador exerceu pesca artesanal, trabalhou com os pais na lavoura, prestou serviço militar, estudou em escola técnica, dentre outros”, destaca.
Outro detalhe importante, é que condições físicas, como uma deficiência, podem antecipar a aposentadoria, ou ainda, trazer benefícios na renda mensal do benefício que será concedido, o que será avaliado no Planejamento.

Cenários
No Planejamento Previdenciário também são analisadas todas as regras e apresenta os cenários, que são as possibilidades de quando e como se aposentar. Levando em conta a expectativa de vida projetada pelo IBGE e comparando os cenários, o Planejamento apresenta o valor do retorno do investimento – que é a soma de todos os valores que seriam recebidos da concessão até a expectativa de vida atual. No PP, são realizadas diferentes projeções de situações para que seja tomada uma decisão precisa e consciente.

Analisando os cenários, será possível saber qual a melhor condição para atingir o objetivo, se aposentar.
O especialista, salienta que dependendo da espécie de contribuição que é realizada pelo segurado, sendo possível aumentar ou reduzir o valor da contribuição, são apresentadas sugestões para gerar economia ou ainda, aumentar o valor da renda mensal ao se aposentar.

Siga as nossas redes sociais

Fique por dentro de todas as novidades jurídicas e dicas que compartilhamos

@bmsadvassociados